A CRISTIANOFOBIA AQUI E AO LADO

Carlos Aguiar Gomes

São frequentes em alguns países da Europa a perseguição, clara ou camuflada, aos cristãos, sobretudo aos católicos.

Na França, quase não há semana em que se constatem ataques a igrejas, destruição de imagens de santos em espaços privados ou de sepulturas de cristãos. Basta, dia a dia, ir consultar o sítio: Observatoire de la cristianophobie.fr. Este sítio, com fotos e testemunhos, dá-nos garantias da variedade e da veracidade das notícias. Vale a pena consultar esta fonte de informações que não está “vendida” ao “politicamente correcto”. Nele podemos ter uma visão bastante abrangente do que se passa em França, mas também no mundo, das democracias ocidentais até aos regimes intolerantes que merecem um olhar complacente daquelas. A França “laicista” continua a perseguir ou a deixar perseguir o que é católico de forma sistemática. Directamente ou indirectamente (esta é forma aplicada entre nós, com legislação que combate o nosso património imaterial e social cristão). A França e a Espanha lideram a militância cristianófoba.

Vou dar alguns exemplos, começando pelo país de “Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade” para os seus já que para os outros, desde a Revolução Francesa, o regime é diferente, basta recordar a chacina desmesurada que se lhe seguiu e não hesitar em guilhotinar até os seus filhos, como Robespierre. Recentemente têm-se verificado inúmeros casos de verdadeira perseguição ou indiferença oficial face a actos de vandalismo sacrílegos. E há as situações que não oferecem grandes dúvidas sobre a sua origem. Bem sei que há sempre a obra “do acaso” ou do descuido. Atente o meu leitor nos dados que lhe forneço a seguir e vejam o poder incendiário de 2019:

1.º - Catedral de Notre de Grâce d`Eyguières ( 21 de Abril de 2019

2.º - Catedral de Notre Dame – Paris – ( 15 de Abril de 2019),

3.º - igreja de Saint Sulpice ( 21 de Março de 2019),

4.º - Saint Jacques de Grenoble ( Janeiro de 2019),

5.º - igreja do Sacré Couer `Angoulème ( Janeiro de 2019 ).

Em 2018 foram mais cinco templos católicos que sofreram incêndios tremendos. Acaso? Não, não há acasos. Incúria? Não creio. Conheço bem a realidade francesa para imaginar que os católicos gauleses são uns descontraídos com os bens cultuais que a república lhes roubou no início do século XX e de que se tornaram meros utilizadores daqueles. A república francesa laicista, por exemplo, quando ardeu a obra prima do gótico europeu, Notre Dame, apressou-se a dizer que era preciso reconstruir aquele bem cultural. Mas o Arcebispo de Paris, Mons. Aupetit logo ripostou, com a firmeza que se lhe conhece e sem “papas na língua” que Notre Dame era, sempre foi e é um templo católico antes e acima de tudo. Todos os ias a França católica sofre.

Aqui ao lado a guerra aberta pelo actual Governo Socialista-Podemos aproveita todas as ocasiões para atacar a Igreja Católica. E os extremistas- -anarquistas que mataram milhares e milhares de católicos durante a Guerra Civil e que agora estão representados ao mais alto nível da Nação desferem ataques permanentes que vão desde a desfiguração de templos até proibições inadmissíveis. Mas há mais. Um exemplo recente: O Tribunal Europeu dos Dreitos do Homem autorizou a European Centre for Law and Justice a intervevir por causa de uma acção posta pela Asociación de Abogados Cristãos de Espanha (nº 22604/18), em nome da Conferência Episcopal Espanhola por causa de algo tremendo para os católicos - «o assunto das hóstias» - o maior sacrilégio jamais levado aos juízes de Estraburgo. Vamos aos factos: o Estado Espanhol apoiou uma performance artística que consistiu no ROUBO de 242 Hóstias consagradas pelo “artista”, durante a Missa (comunhão na mão!) em várias paróquias de Pamplona e Tudela. Depois, com estas Hóstias consagradas, obtidas licitamente durante a comunhão na mão, o performer fez a sua “obra de arte”, escrevendo no chão a palavra PEDERASTIA para denunciar os casos de pedofilia praticados pelo clero. Depois, o dito performer, posou nu com asas pretas, simbolizando o demónio, junto destas Hóstias, que para nós os católicos são verdadeiramente Cristo. Foram depois exibidas aquelas fotografias em exposições públicas intituladas AMEN em vários locais e inclusive numa igreja de Pamplona dessacralizada. O performer vendeu estas fotos e que agora percorrem várias cidades de Espanha.

Este acto sacrílego, verdadeiro ataque cristianófobo, vai ser julgado pelo Tribunal de Estrasburgo, pois em Espanha foi sempre negado provimento às sucessivas queixas apresentadas às diversas instâncias judiciais.

O actual Governo tem, em matéria de Catolicismo, manifestado o seu ódio, veja-se o caso indicado (apoiado pelo dinheiro público e altamente ofensivo, verdadeiro ataque feroz contra o respeito pelas crenças dos católicos), o retirar de símbolos (cruzes ou imagens) de espaços públicos, mudanças de nomes de diversas artérias e até à interrupção de actos públicos católicos.

Sugiro aos meus leitores a visita sempre que puderem ao sítio que referi acima, Ficarão mais informados sobre os actos cristianóficos que se praticam nesta Europa que já foi cristã.

CARLOS AGUIAR GOMES, In DM 31.07.2020

Publicado em 2020-08-02

Notícias relacionadas

«RECOMEÇAR E RECONSTRUIR»

Pe. Eduardo Ferreira

ASSASSINATO LEGALIZADO

Maria Susana Mexia

Não nos dará que pensar?

Carlos Aguiar Gomes

CONDENADA À LIBERDADE

Maria Susana Mexia

“O GROTESCO TOMOU CONTA DA VIDA REAL”

Carlos Aguiar Gomes

VIRGEM DOS INOCENTES, acolhei os bebés abortados e os velhos assassinados!

Carlos Aguiar Gomes

desenvolvido por aznegocios.pt